Consumidores buscam empréstimo para o pagamento de dívidas.

De acordo com um levantamento nacional feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o empréstimo pessoal está sendo utilizado para o pagamento de dívidas, como faturas do cartão de crédito, prestações de lojas e até mesmo outros empréstimos adquiridos no passado (41,6%).

Com o levantamento ainda foi possível constatar que até 15% dos consumidores também utilizam os empréstimos para o pagamento de contas básicas como aluguel, condomínio, luz, telefone e escola. Ainda para completar o ranking de motivações, estão em 8,7% os consumidores que utilizam o empréstimo para a aquisição de eletrodomésticos, 7,5% para compra de viagens e 5,5% a compra de móveis.

Marcela Kawati, economista-chefe do SPC fala a respeito deste estudo e aponta que “O empréstimo sempre foi visto como uma alternativa para a aquisição de bens de valores elevados, mas o estudo mostra que parte relevante dos consumidores já o enxerga como um meio para resolver problemas financeiros. Se as dívidas saem do controle, pode ser conveniente trocar uma modalidade de crédito mais cara por outra mais barata. Porém, em todos os casos é necessário buscar orientação especializada para encontrar tarifas e juros compatíveis com a realidade financeira e a capacidade de pagamento”.

Além disso, o estudo ainda afirma que mais de um terço dos consumidores brasileiros possui nos dias de hoje ao menos um tipo de empréstimo, seja ele com banco (31,3%), financeira (18,0%) ou na modalidade pessoal de consignado (25,5%), que é descontado diretamente da folha de pagamento.

Você também vai gostar de:


Deixe uma resposta