Em 2016 o foco do Marketing e Comunicação não será somente nos Millenials.

Millennials ou mais conhecidos por geração Y, é o termo utilizado para definir a geração que nasceu entre o final dos anos 80 de década de 90, filhos da geração dos Baby Boomers. São jovens adultos com hábitos um tanto diferentes da geração anterior, que se desenvolveu na era digital e prosperidade econômica.

Um estudo divulgado pela Hotwire PR, revela que em 2016 as marcas irão tentar atrair aos consumidores com conteúdos menos focados aos Millennials por sua idade focando nos gostos e no lifestyle desses jovens.

Após apostar na publicidade em dispositivos móveis o desafio será contornar as ferramentas de bloqueio de publicidade, que esta surgindo com força no mercado, apostando em ‘publicidade nativa’, podcasts patrocinados e parcerias com os chamados ‘prescritores’, especialistas ou digital influencers.

As tendências da comunicação e do marketing para 2016 passarão também por:

O despertar da realidade virtual: Os consumidores estão ansiosos por experiências diferentes e a realidade virtual poderá vir a desempenhar um papel importante na resposta que os marketeers adotarão para responder a essa necessidade;

Tempo real VS Conteúdos planeados: A comunicação e o marketing terão que responder cada vez mais em tempo real. Os calendários de planeamento de conteúdos poderão estar prestes a desaparecer;

Campanhas de marketing que oferecem um serviço: As campanhas de marketing mais bem-sucedidas serão aquelas que tiverem a capacidade de oferecer serviços úteis e relevantes para os consumidores;

Marcas terão que ser vistas como ativistas: Os valores deverão continuar no centro da estratégia de comunicação das marcas. As preocupações e posições sociais, políticas e ambientais das marcas devem ser perceptíveis para os seus consumidores;

Produção de vídeo será mais especializada e profissional: Em 2016 haverá uma aposta clara na produção de conteúdos vídeo de forma mais profissional. Os marketeers, por outro lado, estarão mais focados na compreensão de que plataformas funcionam melhor para a distribuição desses conteúdos.

Deixe uma resposta