O consumidor gastará menos no dia dos namorados.

O dia 12 de Junho é uma data lembrada por todos os apaixonados do Brasil, onde muitos casais não medem esforços para presentear o parceiro fazendo surpresas. Porém, por mais que nesta data o carro chefe seja o romantismo, é preciso ter cautela para evitar o endividamento desnecessário.

O dia dos namorados, como qualquer outra data comemorativa gera o aumento do comércio e as lojas faturam mais, pois são compras estimuladas pela emoção e não pela razão e alguns casos pela insegurança, que costuma ser má conselheira.

Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Pesquisas Tributárias (IBPT), os itens mais comprados para presentear na data chegam a ter quase 80% de impostos o que retrai o consumidor, diminuindo a compra e afetando no faturamento total nesta data comemorativa.

De acordo com pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 52,4% dos consumidores pretendem gastar menos agora do que em 2014.

O ano passado, a mesma data foi considerada como a pior data comemorativa do ano com queda de 8,63% nas vendas a prazo em relação ao ano anterior. Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o cenário econômico também tem impacto nas datas comemorativas. “A desaceleração da economia, com o crédito aos consumidores cada vez mais restrito, a inflação elevada e as altas taxas de juros, diminui o poder de compra do consumidor e a principal medida para salvar as finanças é o corte de gastos”, diz, em nota distribuída à imprensa. E, além disso, quase 80% dos consumidores acreditam que o valor do produto está mais alto que em 2014.

O valor médio esperado para compras em 2015 é de R$ 138 e 82% dos consumidores pretendem pagar à vista e mais da metade daqueles que pretendem gastar menos justifica a cautela por razões de desemprego (25,8%) e o endividamento (24,9%).

Com este cenário os comerciantes revelam preparar algum tipo de promoção para alavancar as vendas, como descontos para pagamento à vista, brindes e até mesmo o investimento em comércio online, pois apesar do cenário não favorável o consumidor enxerga o canal eletrônico como uma forma de economizar e buscar melhores oportunidades de preço e pagamento.

Deixe uma resposta