Os efeitos do aumento do custo de crédito para o consumidor e empresas.

Por conta do cenário econômico desfavorável e com os ajustes fiscais, o mercado de crédito está sofrendo um impacto em 2015 e afetando o dia-a-dia do consumidor e companhias brasileiras.

No início do ano foi anunciado o aumento de tributos na alíquota do IOF, o que acarretou no aumento nas operações de crédito. Essas medidas têm como objetivo o ajuste das contas públicas e o aumento da confiança da economia, além da equipe econômica ter como expectativa o arrecadamento de R$ 7,38 bilhões em 2015 com as alterações.

Com as medidas tomadas, o crédito ao consumidor ficou mais caro afetando principalmente as famílias brasileiras endividadas. O percentual de famílias com inadimplências em Abril de 2015 não ultrapassou o mesmo período em 2014, porém o número de famílias que acreditam não ter condições de pagar suas contas está estável de acordo com o ano anterior.

De acordo com Marianne Hanson, economista da CNC (Confederação Nacional do Comércio), o crédito impacta na piora da percepção, pois foi agravado pelo aumento expressivo do custo de vida dos brasileiros, ou seja, quem vai buscar crédito encontra juros mais altos do que no ano passado.

Outro setor que está sendo impactado é o corporativo, pois com os caixas das empresas debilitados pelo baixo desempenho econômico, muitas companhias começaram a enxugar as estruturas, reduzir o número de funcionários e adiar pagamentos. Com as grandes taxas de inadimplência os bancos estão mais seletivos na liberação de crédito, o que afeta relativamente o pagamento dos empréstimos realizados e consecutivamente a inadimplência cresce.

O diretor da federação das indústrias de São Paulo, José Ricardo Roriz, afirma que o hoje o principal problema das empresas é a falta de crédito. Se nada for feito, poderá haver um colapso que vai travar ainda mais a economia.

Deixe uma resposta