Inadimplência em 2015 estará acima da média

As previsões de inadimplência para o mercado nacional em 2015 é de aumento. Os economistas estão estimando que, com a crise econômica e financeira, muitas empresas estão cortando funcionários, o aumento do salário diminuiu e o endividamento das famílias tende a aumentar. Logo no inicio do ano o brasileiro já está com boa parte do orçamento comprometido por contas, quem não tem uma boa gestão financeira pessoal, acaba se enrolando e entrando para a lista de devedores.

O Banco Central (BC) divulgou que o atraso de pagamento nas operações de pessoas físicas, entre 15 e 90 dias, aumentou de 6,2% para 6,9% de fevereiro para abril de 2014. Nos empréstimos para empresas também houve aumento na inadimplência no mesmo período, de 2,4% para 2,8%.
Alguns bancos já estão adotando uma maior burocracia para liberar empréstimos, as empresas que fornecem algum tipo de crédito também tentam se proteger reorganizando áreas como tesouraria, cobrança, atendimento e gestão estratégica. Todos buscam estratégias para evitar o não recebimento de suas contas a receber.

A UnitFour atende grande parte das empresas de cobrança do país e oferece para elas uma base de dados atualizada de pessoas físicas e jurídicas, para que os devedores possam ser localizados e suas dívidas negociadas. As empresas utilizam diversos tipos de estratégia de cobrança, como call center de negociadores, disparo de SMS marketing disponibilizando o número do boleto para pagamento, entre outras ações que dão bastante retorno para as empresas. Para aperfeiçoar o custo da operação a UnitFour oferece o Collection Score para apontar os devedores com maior probabilidade de pagamento, além de fornecer insumos para a própria empresa gerar o seu collection como renda presumida, participação empresarial e informações INSS para saber se o consultado é ou não aposentado.

A inadimplência nunca deixará de existir, pois os motivos para o não pagamento de uma conta são diversos. Entretanto é muito importante ter uma estrutura de cobrança e negociação de dívidas que possa reverter o prejuízo ao máximo.

Deixe uma resposta